10 Dicas Para Manter Seus Olhos Saudáveis

1. Use óculos de Sol:

Os óculos escuros bloqueiam a radiação ultravioleta, retardando assim o desenvolvimento de catarata e evitando danos na retina. Protegem a pele delicada da pálpebra, evitando as rugas e cânceres de pele ao redor dos olhos. Importante: Verifique que a proteção UV é de 100%, tanto de raios UV- A quanto raios UV-B.

2. Evite o Cigarro:

O fumo de tabaco está diretamente ligado a muitos efeitos adversos para a saúde, incluindo a degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Estudos mostram que os fumantes atuais e ex-fumantes são mais propensos a desenvolver DMRI do que as pessoas que nunca fumaram. Fumantes também estão em maior risco de desenvolver catarata.

3. Coma corretamente:

A deficiência de vitamina pode prejudicar a função da retina. A crença de que comer cenouras melhora a visão tem alguma verdade, mas uma variedade de vegetais, especialmente os verdes folhosos, devem fazer parte da sua dieta. As pesquisas mostram que pessoas com dietas ricas em vitaminas C e E, zinco, luteína, zeaxantina, omega-3 e os ácidos graxos EPA e DHA são menos propensos a desenvolver DMRI.

4. Faças Consultas Oftalmológicas de Rotina:

Adultos sem sinais ou fatores de risco para doença ocular devem fazer suas consultas de rotina, principalmente após os 40 anos, idade na qual os primeiros sinais de doença oftalmológica ou alterações na visão podem começar a ocorrer.

Com base nos resultados dessa triagem inicial, seu oftalmologista irá prescrever os intervalos necessários para os exames futuros. Qualquer pessoa com sintomas oculares ou com uma história familiar de doença ocular, bem como pacientes com diabetes ou pressão arterial elevada, devem fazer uma consulta com oftalmologista para determinar a frequência com que seus olhos devem ser examinados.

5. Use Óculos de Proteção:

Estima-se que 2,5 milhões de lesões oculares ocorrem nos EUA a cada ano, por isso é fundamental usar óculos de proteção adequado na prática de esportes e atividades tais como reparações em casa, jardinagem e limpeza. Os óculos de proteção devem ser aprovados pela ANVISA para tal fim. A proteção para os olhos na pratica de esportes deve atender aos requisitos específicos de cada esporte, sendo geralmente estabelecidos e certificados pela entidade que comanda o esporte.

6. Conheça Seu Histórico Familiar:

Muitas doenças oculares podem se agrupar em famílias, de modo que é fundamental que você conheça sua história familiar de doença ocular, afinal você pode estar em risco aumentado se há casos em sua família. Doenças oculares como catarata, degeneração macular relacionada à idade, retinopatia diabética, glaucoma, descolamento de retina e ceratocone são exemplos de doenças com expressões familiares.

7. Intervenção Precoce:

A maioria das doenças oculares graves, como glaucoma e DMRI, são mais facilmente tratadas se diagnosticadas precocemente. Quando não tratadas, estas doenças podem causar perda de visão grave e cegueira irreversível.

8. Conheça Seu Oftalmologista:

O Médico Oftalmologista desempenha um papel importante na preservação de sua visão. No entanto, cada um tem um nível diferente de formação e especialização. Certifique-se de que você está assistido por um médico especializado em seu problema visual. Oftalmologistas são especialmente treinados para diagnosticar e tratar as doenças oculares, prescrevendo óculos, lentes de contato e realizando cirurgias oculares.

9. Cuide de Suas Lentes de Contato:

Siga as instruções do seu Oftalmologista sobre o cuidado e uso de suas lentes de contato. Abusos tais como dormir com lentes que não são aprovados para uso durante a noite, usar saliva ou água como uma solução de limpeza, utilizar soluções com prazos expirados e usar as lentes além do seu prazo de validade, podem resultar em úlceras de córnea, dor severa e até mesmo perda de visão.

10. Cuidado com a Fadiga Ocular:

Se você sente uma tensão nos olhos ao trabalhar em um computador ou fazer algum trabalho próximo, como leitura, você pode se beneficiar dessa dica: A cada 20 minutos de trabalho de perto, olhe para longe (2 metros ou mais) por 20 segundos seguidos. Isto irá relaxar seus olhos.

Se a fadiga persistir, pode ser um sinal de problema ocular como olho seco, presbiopia ou óculos com lentes que não são devidamente prescritas.18

Visão Subnormal e Auxílios Visuais

Atualmente nem todas as doenças oftalmológicas tem tratamento. No entanto, há como melhorar o desempenho visual nesses casos sem tratamento, através de artefatos que facilitam a vida daqueles que tem dificuldade visual.

Pacientes podem voltar a ler, a escrever, assistir televisão e ter algumas de suas tarefas diárias auxiliadas por equipamentos, de aumento ou eletrônicos, que dão mais qualidade de visão e independência.

O tratamento ou acompanhamento da doença oftalmológica deve ser mantido com o oftalmologista de confiança, sendo o auxilio visual também prescrito pelo médico oftalmologista especialista em visão subnormal.

O Dr. Rodrigo Sampaio é especialista em Visão Subnormal, tendo ampla experiência e acesso aos mais modernos equipamentos de auxilio visual.

Fale com seu oftalmologista sobre a visão subnormal e agende uma avaliação com o Dr. Rodrigo Sampaio, ele poderá lhe ajudar a enxergar melhor.

Ceratocone e Doenças Corneanas

Quando falamos de doenças corneanas lembramos sempre do Ceratocone, que evolui com baixa de visão importante se não tratado da maneira correta.

No entanto a córnea pode ser afetada por uma infinidade de outras doenças, a maioria passiva de tratamento se diagnosticada precocemente.

Para que se possa fazer um diagnóstico preciso e seguro são necessários conhecimento técnico e equipamentos modernos. A Topografia Computadorizada e a Tomografia Corneana são exemplo de tecnologia aliada ao médico no diagnóstico precoce das doenças corneanas.

Tratamentos atuais tanto clínicos quanto cirúrgicos tem mostrado excelentes resultados em praticamente todas as doenças corneanas. O Crosslinking de Colágeno Corneano é um exemplo, tratando de forma efetiva o Ceratocone, até então sem tratamento efetivo. As lentes rígidas propiciam uma excelente visão e os transplante de córnea também são uma realidade ao alcance de todos.

Os anéis intra-corneanos evoluíram muito nos últimos anos, bem como suas indicações e planejamento, fazendo com que córneas irregulares voltem a ter um desenho simétrico, permitindo assim que os pacientes mesmo com doença avançada, voltem a enxergar com qualidade.

Com equipamentos de última geração tanto para diagnóstico quanto para tratamento, o Centro Oftalmológico Belotto Stock e o Dr. Ricardo Stock, tem se tornado referência em Ceratocone e Doenças da Córnea, oferecendo aos seus pacientes uma medicina moderna e precisa.

Doenças da Retina e Vítreo

A retina é como uma tela de cinema, onde todas as imagens são projetadas. O nervo óptico é como uma rede de cabos (neurônios) que penetram no sistema nervoso central levando a imagem até lá para ser processada e entendida.

Assim, observamos que a retina é fundamental na função visual plena. Qualquer alteração retiniana pode levar a uma baixa de visão importante e de difícil tratamento.

Praticamente todas as patologias da retina são tratáveis, mas para isso a avaliação das queixas deve ser feita em tempo hábil para o tratamento. Os sintomas variam desde baixa de visão leve até quadros com cegueira completa e súbita.

As avaliações de fundo de olho fazem parte das consultas oftalmológicas de rotina, podendo, em algumas consultas mais específicas de paciente já conhecidos do médico, não ser realizada.

Quando o oftalmologista geral se depara com uma alteração de fundo de olho, o ideal é que se encaminhe o paciente a um profissional especializado em retina, uma vez que a evolução clínica e cirúrgica da área tornou a retina um mundo à parte na oftalmologia.

O Dr. Junior Kuczmainski, especialista em Retina e Vítreo, oferece um atendimento de excelência nas doenças retinianas, que aliado a equipamentos cirúrgicos e de diagnóstico de alta tecnologia, garantem aos paciente uma avaliação precisa e um tratamento adequado.

Plástica Ocular Estética e Reparadora

A Cirurgia Plástica Ocular é a especialidade da Oftalmologia que cuida das pálpebras e dos tecidos em volta dos olhos (anexos oculares), como glândulas, cílios e o sistema de drenagem da lágrima.

Estas estruturas podem ser acometidas por cânceres de pele, manifestações de doenças sistêmicas (lúpus, herpes, hanseníase, doenças da tireoide) e o próprio envelhecimento. A maioria dessas situações tem solução através de pequenas cirurgias realizadas com anestesia local.

Além da cirurgia plástica reparadora, que trata alterações decorrentes de doenças ou trauma, há a cirurgia plástica estética, na qual as correções são feitas com o objetivo do embelezamento e melhora da auto-estima. É nesse contexto que as Blefaroplastias vem ganhando cada vez mais espaço, corrigindo as bolsas de gordura, pálpebras caídas e excessos de pele ao redor do olhos.

Ninguém melhor que um oftalmologista, especialista em Plástica Ocular para cuidar dos seus olhos, pálpebras e anexos oculares. O Dr. Carlos Ramos tem habilidade técnica e cirúrgica na área, com indicações cirúrgicas precisas e excelentes resultados.

Estrabismo e Oftalmopediatria

É na infância e na adolescência que nos desenvolvemos, fase da vida essencial onde todos os sentidos se aguçam e evoluem.

Ver o mundo com a capacidade visual plena exige cuidados com a visão desde pequenos, quando ainda não nos expressamos para o mundo de maneira clara.

A oftalmologia pediátrica é hoje uma subespecialidade em franco desenvolvimento, as particularidades da criança devem ser avaliadas a fundo por um profissional capacitado e bom tecnicamente, afinal os resultados de um bom tratamento serão para vida toda.

Os Olhos desviados (estrabismo) diminuem a autoestima e trazem dificuldades de relacionamento, mas isto tem solução. A estrabologia é também uma subespecialidade da oftalmologia, tanto no adulto quanto na criança, devendo ser feita por profissional especializado na área.

O Dr. Fábio Pimenta de Moraes é especializado em Estrabismo (Adulto e infantil) e Oftalmologia Pediátrica, garantindo assim uma avaliação precisa e um tratamento adequado aos nossos pacientes.

Entre em contato com a nossa clinica e agende uma avaliação com o Dr. Fabio.

Liberte-se de seus óculos: Precisão cirúrgica na miopia, hipermetropia e astigmatismo.

Nos dias atuais quase todos os pacientes podem ser operados para não necessitarem mais do uso de óculos! Isto devido aos constantes avanços na tecnologia, bem como a evolução do conhecimento da mecânica da córnea. Miopia de até 11 graus, hipermetropia e astigmatismo de até 6 graus são hoje operados com sucesso, algo impossível antes da evolução dos equipamentos e das técnicas.

A cirurgia refrativa se tornou uns dos procedimentos cirúrgicos mais realizados no mundo. Uma realidade para muitos pacientes que têm mais acesso a chance de tornar-se livre de seus óculos. Tal fato estimula ainda mais o desenvolvimento técnico e de máquinas mais rápidas e precisas.

Máquinas precisas e seguras diminuiriam muito o índice de retoques cirúrgicos, bem como o número de complicações. Nesse cenário se destaca o Allegretto 400 hz, que com seu Surgical Suite garante uma análise precisa e proporciona um planejamento cirúrgico avançado e personalizado! Seu sistema de Eye Tracker, direciona o laser corretamente na córnea, mesmo com movimentos oculares durante o procedimento.

No LASIK faz-se inicialmente uma fina lamela na córnea, que é dobrada temporariamente para que se possa aplicar o laser na córnea, na sequência essa lamela é recolocada no lugar. Outra técnica cirúrgica é o PRK, na qual uma fina camada da córnea (epitélio) é removida, após essa manobra aplica-se o laser e recobre-se a córnea com uma lente de contato que é retirada em 7 dias!

Como em todo procedimento cirúrgico, há necessidade de cuidados pós-operatórios, sendo o paciente orientado por nossa enfermeira com experiência e treinamento na área.

Até mesmo os pacientes que necessitam de óculos para perto , devido à vista cansada (presbiopia) podem ser submetidos ao procedimento cirúrgico, retomando sua independência dos óculos.

A idade mínima para a cirurgia são 21 anos completos. Há ainda a necessidade de estabilização completa do grau. Realiza-se em todos os pacientes uma análise topográfica da córnea bem como análise de sua espessura, o que orienta o cirurgião na escolha da técnica mais apropriada (LASIK ou PRK).

Entre em contato conosco e faça uma avaliação do seu caso. Nós lhe ofereceremos o que há de mais moderno e seguro para proporcionar sua independência dos óculos.

Olho Seco

Um ser humano saudável pisca em média 15 vezes por minuto, involuntariamente. A ação oxigena a córnea, renovando o filme lacrimal e garantindo a lubrificação da superfície ocular, quem pisca menos vezes oxigena menos a córnea e aí começam os problemas da falta de lubrificação, ou olho seco.

A síndrome do olho seco atinge ao menos 5% da população brasileira,nela o ato de abrir e fechar os olhos nem sempre é confortável, podendo haver dor quando pisca, sensação de areia nos olhos, desconforto na claridade e olhos irritados.

Horas perdidas na direção de um automóvel ou trabalhando em frente a um computador (ações que exigem atenção do indivíduo), ou a exposição a ambientes secos, como salas com ar condicionado, diminuem o ritmo de piscadas ou faz com que as lágrimas evaporem mais rapidamente. Nessas situações, em que se pisca em média seis vezes por minuto, as chances de desenvolver o olho seco aumentam.

Assim , o simples ato de piscar corretamente – isto é, a pálpebra superior encostando na inferior – em uma frequência correta já ajuda muito o paciente.

Em alguns casos mais graves faz-se necessário o uso de colírios lubrificantes com maior frequência ou até anti-inflamatórios em forma de colírios para se obter maior conforto. Cápsulas de óleo rico em ômega 3 podem ser ingeridas diariamente para se obter maior conforto e lubrificação.

Degeneração macular relacionada a idade (DMRI)

A DMRI é sabidamente a causa mais comum de cegueira irreversível no mundo, acima dos 60 anos de idade, sendo que as mulheres são mais acometidas que os homens na proporção de 2:1. Vários fatores de risco tem sido envolvidos no seu aparecimento, tais como doenças cardiovasculares, tabagismo, defeitos nutricionais e toxicidade à luz. No entanto parece que o que ocorre é um processo de envelhecimento e desse processo advém alterações retinianas denominadas de DMRI. O envelhecimento é um processo fundamental que ocorre mesmo na ausência de doença associada. Nas células sem capacidade de divisão mitótica (multiplicação) esse processo é mais acentuado ( Retina e cérebro por exemplo). A retina é um tecido que trabalha 24hs por dia para produzir imagem.Assim, não é errado pensar que durante a vida, ocorra um desgaste dessas células, que passam a não desempenhar bem sua função e ainda acumulam resíduos que são utilizados na produção da imagem. Há duas formas de DMRI: a forma seca que ocorre em 80% dos casos e a forma exsudativa que acomete 20% das pessoas. A forma exsudativa causa grande baixa de visão e é responsável por 90% dos casos com perda visual severa, atingindo pacientes em média com mais de 75 anos de idade. A queixa principal dos pacientes com DMRI é a baixa de visão, as vezes associada a visão “torta”. A doença é diagnosticada pelo exame de fundo de olho sob dilatação da pupila, o que às vezes é ainda dificultado pela presença de catarata. No fundo de olho pode-se encontrar drusas (figura 1), que são indícios do início da doença. Exames complementares modernos, como a Tomografia de Coerência Óptica (OCT) (figura 2) e a angiografia fluoresceínica da retina (figura 3), ajudam a classificar as formas secas e exsudativas da doença e auxiliam ainda no acompanhamento desses pacientes. O tratamento da forma seca se faz com multi-vitamínicos orais especíificos tomados diariamente. Já a forma exsudativa se trata com aplicações de medicações intra-oculares denominadas de anti-angiogênicos (Avastin, Lucentis e Eylia).

 

Lentes de Contato e Maquiagem

Os cosméticos podem causar reações alérgicas, além de formar um filme gorduroso, nublando a visão. Os sintomas são mais perceptíveis com a presença de lentes de contato, causando desconforto e reduzindo o tempo de uso.Conhecer os produtos que devem ser usados, bem como, a forma de aplicá-los é uma maneira de evitar ou reduzir esses problemas.

Para evitar reações alérgicas, usar cosméticos sem perfume e adquirir aqueles que conhecidamente sejam “hipoalergênicos” ou “especiais para usuários de lentes de contato”. Entretanto, mesmo essas formulações podem causar alergias em pessoas muito sensíveis.
De modo geral, os cosméticos estão livres de contaminação quando novos, mas os preservativos utilizados para retardar o crescimento das bactérias perdem seu efeito com o tempo, que varia de 1 até 36 meses, no máximo. Dessa forma, com o uso, a contaminação é rápida e o usuário dissemina microrganismos sobre os seus cílios, podendo causar infecções.

Pincéis para rímel (máscara para cílios) ou delineador não devem ser emprestados. As escovas de rímel devem ser lavadas frequentemente e, se possível, trocadas a cada três meses. Rímel deve ser comprado com pincel e não somente o refil. O rímel é uma combinação de polímeros acrílicos, parafina, ceras, corantes, preservativos químicos e outros elementos, geralmente com base líquida, ótimo meio para crescimento de microrganismos.

Evitar rímel à prova d’água e os destinados para alongamento dos cílios. Esses costumam conter nylon e fibras de rayon, que são secas e podem soltar-se, entrando nos olhos. As lágrimas podem levar as fibras intactas para baixo da lente de contato, o que pode causar lesão corneal. Rímel RESISTENTE à água (não à prova d’água) é o mais recomendável porque, sendo solúvel em água, pode ser removido facilmente sem agentes emulsificadores; à prova d’água, exige demaquilantes bifásicos (água e óleo) para sua remoção. Produtos oleosos devem ser evitados porque permanecem nas bordas palpebrais e podem sujar o filme lacrimal e as lentes de contato, mesmo após um bom enxágue dos olhos. Lentes de contato nubladas devido a cremes e removedores de maquilagem são queixas frequentes.

À noite, ao aplicar creme nas pálpebras, cuidar para não tocar nos cílios e, de preferência, depois de 20 minutos, remover o excesso com lenço de papel. O creme pode penetrar nos olhos durante a noite sujando o filme lacrimal e provocando turvação de visão, além de ardência e queimor, no dia seguinte.Produtos usados na face que contêm ácidos e protetores solares também podem ser causa de ardência ocular.

Como a usuária de lentes de contato deve aplicar cosméticos
1- Fazer a maquilagem com as lentes de contato já no lugar para reduzir o risco de sujá-las. Mesmo com lacrimejamento durante a colocação, não haverá problemas com a maquilagem. Os míopes com mais de 40 anos enxergam melhor de perto sem lentes de contato. Por isso, devem colocá-las depois de fazer a maquilagem.
2- Lavar bem as mãos para remover qualquer resíduo de maquilagem antes de tocar nas lentes de contato. Cosméticos oleosos são difíceis de remover dos dedos e das lentes.
3- Utilizar, de preferência, pó facial compacto. O pó solto deve ser aplicado com cuidado e seu excesso removido das pálpebras e cílios.
4- Evitar sombras cintilantes, perolizadas ou outras semelhantes à purpurina. As partículas podem entrar nos olhos e ficar debaixo das lentes de contato. Sombras compactas são melhores do que as líquidas, oleosas ou cremosas, difíceis de remover das lentes. É aconselhável que as sombras sejam utilizadas em quantidade moderada para que o excesso não caia dentro dos olhos.
5- Passar o delineador por baixo da porção cutânea da borda palpebral, para evitar a obstrução das glândulas que ali se encontram e que pode resultar em blefarites, ordéolos e calásios. Para usuários de lentes de contato, delineadores tipo lápis são melhores do que os líquidos ou pastosos. O delineador líquido deve ser à base de água. Não usar saliva para lubrificar o pincel ou o cosmético.
6- Aplicar o rímel levemente distante da base dos cílios. Nunca usar objeto pontiagudo para separá-los (agulha, grampo de cabelo etc.).
7- Retirar as lentes de contato antes de remover a maquilagem.

Cuidados com as lentes de contato no salão de beleza
– Produtos em aerosol e outros que liberem vapor ou gás devem ser utilizados antes de colocar as lentes de contato. Se for necessário aplicar spray para cabelo, enquanto estiver usando lentes, fechar os olhos e, em seguida, deixar rapidamente o local, pois o aerosol permanece no ar por algum tempo.
– Não se devem usar lentes de contato durante o tingimento dos cabelos e durante o uso de loções químicas (permanentes para ondular e xampus medicamentosos, por exemplo).

Importante: Deve-se evitar o uso de cosméticos e de lentes de contato se os olhos estiverem vermelhos, inchados ou infectados.

(Extraído do texto da Dra. Cleusa Coral-Ghanem)